10-3 Sangue e hemocitopoese

PARA APROVEITAR BEM SEU EXAME MICROSCÓPICO DE ESFREGAÇOS DE SANGUE

Alguns cuidados devem ser tomados ao examinar esfregaços de sangue ao microscópio de luz.

Um deles se refere à coloração do esfregaço: quando se cora uma série de esfregaços são tomadas precauções para que a sua coloração seja homogênea. Isto nem sempre é fácil de ser conseguido devido às variáveis que entram em jogo:
– a idade da mistura corante
– a mistura corante é pingada na hora sobre o esfregaço e é adicionada logo em seguida outro líquido;
– o tempo de coloração pode ser ligeiramente diferente entre as várias séries de coloração;
– o pH da água pode influir na coloração final.

Em laboratórios clínicos esta coloração é atualmente feita mecanicamente e é muito mais controlada.

Em virtude destes fatores todos, a coloração das células em esfregaços pode ser mais escura em alguns preparados e menos escura em outros. Algumas células podem corar-se mais por alguns corantes em alguns esfregaços do que em outros.

As hemácias, por exemplo, deveriam se coram em cor de rosa ou laranja claro, mas às vezes tomam um tom acinzentado ou azulado.

Um cuidado a ser tomado no exame de esfregaços de sangue deve ser o de examinar inicialmente a cor das hemácias para em seguida tirar conclusões sobre a coloração de células da série branca.

Na série de figuras que será vista a seguir nas próximas páginas deste Módulo, há imagens em diferentes aumentos. Para ter uma ideia correta sobre o tamanho de determinada célula, ajuda muito comparar seu diâmetro com o diâmetro de hemácias.

Erros? Texto pouco claro? Sugestões? Comunique-se com os autores:

Histologia Geral e dos Sistemas: mol@icb.usp.br

Histologia Oral: vfreitas3d@gmail.com.

NAVEGAÇÃO NO MOL:

ACESSAR PÁGINA ANTERIOR

ACESSAR PÁGINA SEGUINTE