10-2 Sangue e hemocitopoese

ESTUDO DE CÉLULAS SANGUÍNEAS AO MICROSCÓPIO DE LUZ
A maneira mais usada para analisar as células do sangue ao microscópio de luz envolve inicialmente a obtenção de um preparado da seguinte maneira:
– sangue é obtido por punção venosa ou perfurando-se a pele com uma agulha ou estilete.
– uma gota de sangue é colocada sobre uma lâmina de vidro; encosta-se uma lâmina ou lamínula na gota e puxa-se esta lamínula arrastando o sangue e produzindo uma película muito delgada de células sanguíneas. Um preparado assim obtido é denominado esfregaço ou extensão.
– a película é deixada secar ao ar para depois ser corada.

Coloração do esfregaço de sangue
Os esfregaços de sangue costumam ser corados por mistura complexas de corantes, denominadas corantes tipo Romanovsky. Há várias receitas levemente diferentes, mas quase todas têm em comum um corante básico, um corante ácido e um corante metacromático.
Uma composição comum destas soluções é uma mistura dos corantes azul de metileno, azur B e eosina.
A combinação destes corantes e a afinidade das estruturas celulares por cada um deles ou por combinações dos corantes produz imagens características das várias células.
Clique para rever os conceitos de corante ácido, básico nesta página e nas seguintes.
Veja no Glossário a definição de metacromasia.
Importante: denominações de estruturas após uso misturas habituais de corantes para sangue:
Basofilia ou estrutura basófila – tons de azul.
Acidofilia, eosinofilia ou estrutura acidófila ou eosinófila – cor de rosa/alaranjado.
Metacromasia ou estrutura metacromática – púrpura.

Erros? Texto pouco claro? Sugestões? Comunique-se com os autores:

Histologia Geral e dos Sistemas: mol@icb.usp.br

Histologia Oral: vfreitas3d@gmail.com.

NAVEGAÇÃO NO MOL:

ACESSAR PÁGINA ANTERIOR

ACESSAR PÁGINA SEGUINTE