1-23 Conceitos básicos

COLORAÇÕES PARA MICROSCOPIA DE LUZ – 1

Tipos de corantes
A maioria dos cortes histológicos é submetida a uma coloração para permitir seu estudo ao microscópio de luz.
Para esta finalidade foram desenvolvidos ao longo do tempo inúmeras soluções de corantes e de misturas corantes. As misturas mais utilizadas são as que melhor distinguem os diversos componentes das células e da matriz extracelular (MEC) assim como corantes que demonstram tipos celulares específicos.
Uma das técnicas mais utilizadas é a que reúne dois corantes chamados hematoxilina e eosina e a coloração é denominada abreviadamente HE ou H&E. Os cortes são habitualmente corados inicialmente com hematoxilina e em seguida com eosina.

Corantes básicos
As moléculas de muitos corantes são sais. As moléculas de corantes nos quais o seu cátion é dotado de cor tem caráter básico, como por exemplo o azul de toluidina e o azul de metileno. Por isso são também denominados corantes básicos.
A hematoxilina, embora não seja um sal, se comporta na prática como um corante básico. A solução de hematoxilina cora em azul-arroxeado vários componentes das células e da matriz extracelular.
De modo geral, as estruturas das células e da matriz dos cortes que contêm grupos ácidos têm afinidade pelos cátions coloridos dos corantes básicos. Por essa razão estas estruturas são denominados estruturas basófilas, devido a sua afinidade e coloração por corantes básicos.
Exemplos de estruturas basófilas:
– os núcleos têm grupamentos ácidos nos seus ácidos nucleicos e por isso são basófilos e se coram em roxo pela hematoxilina e por corantes básicos.
– o ergastoplasma (correspondente no microscópio eletrônico ao retículo endoplasmático granuloso) contém muito ácido ribonucleico.
– a matriz extracelular da cartilagem possui muitas moléculas com grupamentos ácidos (principalmente sulfatos).

Outro importante grupo é o dos corantes de caráter ácido – os chamados corantes ácidos. Nestes a porção aniônica da molécula é colorida. Exemplos: eosina, orange G. Componentes dos cortes que se coram por corantes ácidos são chamados de estruturas acidófilas ou eosinófilas.
Exemplos de estruturas acidófilas:
– o citoplasma fundamental (citosol) e as mitocôndrias. Por esta razão, o citoplasma da maioria das células se cora em rosa-vermelho pela eosina após coloração por HE.
– as fibras colágenas do tecido conjuntivo. Por esta razão a matriz extracelular, que na maioria dos tecidos possui muita proteína colágeno, se cora em rosa pela eosina.

Avisos:
Esta classificação de corantes ácidos e básicos não se aplica a todos corantes e misturas corantes.
Além disto, a coloração por HE é genérica e não distingue os diversos componentes das células conhecidos como organelas, a não ser o núcleo, nucléolo e eventualmente o ergastoplasma. As diversas organelas necessitam ser tratadas por colorações ou técnicas especiais para serem observadas ao microscópio de luz.

Erros? Texto pouco claro? Sugestões? Comunique-se com os autores:

Histologia Geral e dos Sistemas: mol@icb.usp.br

Histologia Oral: vfreitas3d@gmail.com.

NAVEGAÇÃO NO MOL:

ACESSAR PÁGINA ANTERIOR

ACESSAR PÁGINA SEGUINTE