3-2 Tecido epitelial glandular

GLÂNDULAS

Glândula é o nome que se dá a uma estrutura anatômica formada por um ou por vários conjuntos de células epiteliais secretoras e seus ductos excretores, se for uma glândula exócrina.
O tamanho de uma glândula é muito variável – desde microscópico, por exemplo as pequenas glândulas salivares que estão inseridas nos lábios e bochechas ou muito grande, como as glândulas salivares principais, o pâncreas, o fígado.
Apesar do conceito de glândula aqui descrito, alguns autores chamam as células caliciformes, dispersas entre outras células epiteliais, de glândulas unicelulares.

Classificação das glândulas
As glândulas exócrinas são dotadas de ductos excretores. Seus ductos conduzem a secreção para o exterior do corpo (p. ex. glândulas sudoríparas ou sebáceas) ou para cavidades internas (p. ex. glândulas salivares). Nesta categoria de glândula distinguem-se duas porções:

  • Porção secretora – é a porção constituída pelas células secretoras.
  • Ducto(s) excretor(es) – é a porção que conduz a secreção e em algumas glândulas pode influir na composição da secreção.

As glândulas endócrinas não têm ductos excretores. Elas eliminam seus produtos no meio extracelular que as envolve. Estas secreções são absorvidas pelos vasos sanguíneos que existem em grande quantidade nestas glândulas e distribuem os produtos de secreção pelo organismo.
Das glândulas, tanto exócrinas como endócrinas, ainda fazem parte outras estruturas tais como: vasos sanguíneos, tecido conjuntivo, tecido nervoso.
As glândulas são classificadas de acordo com vários critérios: presença ou não de ductos excretores, arranjo tridimensional das células secretoras, tipo de células e tipos de sua secreção, modo de liberação da secreção, ramificação dos ductos excretores.

Erros? Texto pouco claro? Sugestões? Comunique-se com os autores:

Histologia Geral e dos Sistemas: mol@icb.usp.br

Histologia Oral: vfreitas3d@gmail.com.

NAVEGAÇÃO NO MOL:

ACESSAR PÁGINA ANTERIOR

ACESSAR PÁGINA SEGUINTE