3-11 Tecido epitelial glandular

ÁCINO SEROSO – 1
Nesta e nas próximas páginas será analisado um tipo de estrutura glandular que, juntamente com o túbulo mucoso, é muito encontrada no organismo. Trata-se do ácino seroso.
Ele existe em vários locais do corpo. No aparelho digestivo, por exemplo, forma desde pequenas glândulas da língua e da parede da bochecha até grandes glândulas como a parótida e o pâncreas.

A secreção do ácino seroso é fluida e constituída principalmente por proteínas. Várias destas proteínas são enzimas digestivas importantes para a quebra de nutrientes em moléculas menores facilitando sua absorção nos intestinos.

Ao contrário dos túbulos mucosos, os ácinos serosos são esféricos, arredondados ou ovalados. Não são ramificados como os túbulos mucosos.

Suas células são geralmente piramidais e a superfície livre das células está em contato com o lúmen do ácino. O desenho esquemático mostra um lúmen relativamente amplo, porém em cortes o lúmen aparece estreito e frequentemente difícil de observar ao microscópio, ao contrário do lúmen dos túbulos mucosos que é mais dilatado.

O citoplasma das células serosas é bem corado, acidófilo, corado por eosina. Frequentemente possui um ergastoplasma muito evidente na região basal da célula. Estas células acumulam sua secreção em numerosos grãos de secreção situados na região apical da célula.

Os núcleos são esféricos, sua cromatina é descondensada, relativamente clara, e situam-se próximos à região basal da célula.
Cada ácino se continua diretamente com um pequeno e estreito duto excretor.

Tablets e telefones celulares:
Clique sobre a figura para acessar outra imagem. Clique fora da figura para voltar à primeira imagem.

Erros? Texto pouco claro? Sugestões? Comunique-se com os autores:

Histologia Geral e dos Sistemas: mol@icb.usp.br

Histologia Oral: vfreitas3d@gmail.com.

NAVEGAÇÃO NO MOL:

ACESSAR PÁGINA ANTERIOR

ACESSAR PÁGINA SEGUINTE