12-25 Órgãos linfoides

BAÇO- 6
O bom entendimento da estrutura e a função do baço e de seus componentes é facilitado se acompanharmos a circulação sanguínea neste órgão.

1 – A artéria esplênica chega à cápsula e seus ramos passam para o interior de espessas trabéculas de tecido conjuntivo onde se ramificam e são distribuídos pelo órgão. Vasos sanguíneos no interior de trabéculas já foram vistos em corte mostrado em página anterior.
Veja na figura abaixo a disposição dos vasos acima descritos.

2 – Após se ramificarem várias vezes, os ramos da artéria esplênica gradativamente diminuem de calibre e em determinado ponto de seu trajeto os ramos abandonam a trabécula de tecido conjuntivo e penetram no parênquima esplênico.
A partir deste momento estas pequenas artérias e arteríolas são envolvidas por uma bainha de linfócitos, denominada bainha linfocitária periarteriolar (PALS – periarteriolar lymphocyte sheat). Conforme já mencionado, a bainha periarterolar é um dos componentes da polpa branca.
Veja um detalhe da bainha abaixo no desenho menor.


3 – Em alguns pontos ao longo do seu trajeto pelo parênquima, a bainha periarterial é envolvida por uma quantidade bem maior de linfócitos, organizados em forma esférica ou ovoide em torno da arteríola e que se organizam em folículos linfoides.
Os folículos linfoides são o segundo componente importante da polpa branca.
Diferente dos folículos linfoides de outros locais do corpo os do baço têm no seu interior uma ou mais arteríolas, denominadas arteríolas centrais do folículo.
Após seu trajeto pelo folículo linfático as arteríolas continuam a ser revestidas por uma bainha de linfócitos, a bainha periarteriolar (PALS).

Erros? Texto pouco claro? Sugestões? Comunique-se com os autores:

Histologia Geral e dos Sistemas: mol@icb.usp.br

Histologia Oral: vfreitas3d@gmail.com.

NAVEGAÇÃO NO MOL:

ACESSAR PÁGINA ANTERIOR

ACESSAR PÁGINA SEGUINTE