12-19 Órgãos linfoides

A TRAJETÓRIA DA LINFA NO LINFONODO- 2

SEIO SUBCAPSULAR E SEIO PERITRABECULAR

Na figura superior estão ressaltados: a cápsula que reveste o linfonodo (ressaltada em verde) e o seio subcapsular, ressaltado em azul claro. Este é um espaço com menor concentração de células que recebe a linfa conduzida pelos vasos linfáticos aferentes.

A figura inferior é de uma região do linfonodo semelhante à da figura superior. Observe duas estruturas em especial:
– O tecido conjuntivo denso modelado da cápsula, ressaltado em cor de rosa, que se continua para o interior do órgão formando septos conjuntivos – destacado em vermelho.
– O seio subcapsular situado abaixo da cápsula que fica ressaltado em azul claro. O seio subcapsular se continua em direção ao interior do linfonodo por meio de espaços poucos celularizados – destacados em azul escuro. Estes espaços existente na região cortical são denominados seios peritrabeculares. Siruam-se adjacente aos septos conjuntivos que penetram no órgão.

Os diversos seios peritrabeculares situados na região cortical do linfonodo se continuam com os seios medulares da região medular.
Os seios subcapsular, peritrabeculares e medulares são locais com menor concentração de células e de fibras reticulares do tecido conjuntivo. Por estas razões se constituem em locais preferenciais de passagem de linfa no interior do linfonodo.
A linfa existente no interior dos seios atravessa facilmente suas paredes e grande parte da linfa permeia as células do linfonodo. Desta maneira, antígenos e as células transportadas pela linfa têm oportunidade de interagir com as diversas populações de células existentes nos linfonodos e desenvolver respostas imunitárias.

A linfa e suas células também atravessa as paredes dos seios de volta para o interior dos mesmos. Os seios medulares gradativamente se reúnem na região medular dos linfonodos e se comunicam com pequenos vasos linfáticos para os quais a linfa é transferida.
Estes pequenos vasos linfáticos se reúnem em um ou mais vasos linfáticos eferentes de maior calibre, que saem pela região do hilo e transportam a linfa para outro linfonodo da cadeia de linfonodos até que a linfa seja transportada para os grandes vasos linfáticos existentes no tórax e que transferem a linfa para o sistema venoso.

Linfonodo. Coloração: hematoxilina e eosina. Aumento:pequeno.

Linfonodo. Coloração: hematoxilina e eosina. Aumento: pequeno.

Tablets e telefones celulares:
Clique sobre a figura para acessar outra imagem. Clique fora da figura para voltar à primeira imagem.

Erros? Texto pouco claro? Sugestões? Comunique-se com os autores:

Histologia Geral e dos Sistemas: mol@icb.usp.br

Histologia Oral: vfreitas3d@gmail.com.

NAVEGAÇÃO NO MOL:

ACESSAR PÁGINA ANTERIOR

ACESSAR PÁGINA SEGUINTE